segunda-feira, 22 de Fevereiro de 2010

Páraquedismo

Tal como a minha primeira foto de apresentação sugeria, voar seria com certeza uma das coisas boas sobre a qual algo escreveria aqui. Para mim, a forma mais interessante de o fazer é com o recurso de um páraquedas uma vez que é a única que permite que nos possamos deslocar no ar em queda livre. É até difícil descrever essa sensação única de liberdade de nos podermos deslocar no ar, para onde quisermos, voando quase como pássaros. É algo que eu acho que qualquer ser humano deveria experimentar pelo menos uma vez na vida.



O Homem já salta de páraquedas à muito mais tempo do que a maioria das pessoas pensa. Concretamente, foi no dia 22 de Outubro de 1797 que André-Jacques Garnerin se tornou no primeiro páraquedista saltando a partir de um balão de hidrogénio a uma altitude de 1000m sobre o parque Monceau em Paris. Ao longo de mais de dois séculos o páraquedismo acompanhou a tremenda evolução tecnológica que o mundo assistiu, sobretudo porque esteve sempre associado a sectores de desenvolvimento tecnológico onde mais se investia em conhecimento, nomeadamente nas industrias de defesa e aeronáutica. O resultado deste desenvolvimento manifestou-se de diversas formas; desde a criação de unidades de tropas páraquedistas que vieram revolucionar a arte da guerra, decisivas nos mais importantes teatros operacionais que alguma vez existiram como a 2ª guerra mundial, até à recuperação de equipamentos espaciais de milhões de euros, foram muitas as consequências que o desenvolvimento do páraquedas gerou, sobre as quais penso escrever no futuro mais alguns artigos aqui neste blogue. No âmbito deste artigo, vou sublinhar apenas duas; o desenvolvimento do páraquedismo como uma nova actividade desportiva e a democratização do espaço aéreo, permitindo que qualquer cidadão possa desfrutar do prazer de voar em queda livre, uma actividade que durante muitos anos era exclusivamente praticada por militares que se sujeitavam a longos períodos de treino até estarem aptos a saltarem de páraquedas.



No campo desportivo, o páraquedismo evoluiu de uma forma tremenda, sobretudo nas últimas duas décadas do século passado, originando no seio da modalidade 4 disciplinas distintas:

1- Precisão de aterragem

2- Voo relativo

3- Free Style

4- Sky Surf




























As coisas não ficarão por aqui. O ar, como espaço para o desenvolvimento de novos desportos tem um potêncial enorme. O talento e o empenho de páraquedistas pelo mundo fora nesta actividade trarão novidades, de certeza absoluta.














Bom, e se estiver a ler isto e lhe der a vontade de voar, nada mais fácil do que se deslocar a um aeródromo. De norte a sul do país existem saltadores competentes, devidamente certificados que lhe poderão proporcionar esta experiência inesquecivel. No final do artigo vou deixar alguns contactos que poderá explorar e que o ajudarão a escolher o local mais conveniente para efectuar o seu primeiro salto.

Espero que este artigo lhe tenha trazido algo de novo sobre esta actividade e que lhe tenha aguçado o apetite para se tornar mais um elemento da família páraquedista. Se tiver alguma dúvida, ou lhe apetecer escrever, força, é para isso que os blogues existem.



Alguns contactos:


Blue skies

VC

sábado, 23 de Janeiro de 2010

Ora vamos lá começar com isto...


Com a ajuda da minha querida amiga Heloísa, muito dedicada a estas coisas dos blogs, lá me decidi a ter também o meu blog. E a ideia é muito simples. Partilhar as boas coisas que me vão aparecendo na vida com a blogosfera, e dar a oportunidade àqueles que tenham os mesmos interesses de contribuir também com as suas experiências. Se isso acontecer, este blog conseguirá juntar à sua volta, seguramente, um grupo de gente bem interessante...